CÓDIGO: TRAB
EXAME: ANTICORPOS ANTI RECEPTOR  DE TSH
SINÔNIMOS: CBHPM – 40316084, TSI, ANTICORPO INIBIDOR DO TSH

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 2 dias úteis
MÉTODO: ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA

Instruções de preparo
Jejum: Jejum aconselhável de 4 horas.
 Medicação: Pacientes em tratamento com doses elevadas de biotina (>5 mg/dL), a coleta deve ser realizada até no mínimo 8 horas após a última administração. 
 

Instruções de coleta
Realizar coleta utilizando material e meio de coleta adequados. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra e acondicionar corretamente.
 

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 3 dias refrigerada entre 2°C a 8°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras fortemente hemolisadas (+++). Amostras em tubo inadequado, tubo vazado, tubo não identificado ou fora do prazo de estabilidade.

Interpretação
O hipertiroidismo na doença de Graves é provocado por auto-anticorpos para o receptor de TSH (TRAB), e a medição destes anticorpos pode ser útil para o diagnóstico e tratamento da doença. A presença de TRAB indica que a tireotoxicose do paciente tem etiologia autoimune, em vez de ser devida a bócio nodular tóxico. Avaliar níveis de TRAB antes de interromper o tratamento com drogas antitireoidianas pode auxiliar a identificar quais pacientes podem iniciar a retirada da medicação, uma vez que níveis normais de TRAB é indicativo de uma maior chance de remissão. Recomenda-se dosar o TRAB em gestantes com doença de Graves no início e no terceiro trimestre de gestação para avaliar risco de hipertireoidismo fetal e tireotoxicose neonatal transitória.  

Esse guia de exames foi útil?