CÓDIGO: PSA
EXAME: PSA TOTAL – ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO
SINÔNIMOS: CBHPM – 40316149

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 2 dias úteis
MÉTODO: QUIMIOLUMINESCÊNCIA

Instruções de preparo
Jejum: Jejum aconselhável de 4 horas.
 Outros PSAT:
Nas situações abaixo recomenda-se aguardar o tempo indicado antes da coleta do material:

– Após relação sexual com ejaculação, aguardar 2 dias;
– Após prática de ciclismo/equitação, aguardar 2 dias;
– Após cateterismo/sondagem uretral, aguardar 3 dias;
– Após toque retal/prostático, aguardar 3 dias;
– Após uso de supositório, aguardar 3 dias;
– Após Ultra-sonografia transretal, aguardar 7 dias;
– Após colonoscopia, aguardar 15 dias;
– Após massagem prostática, aguardar 6 semanas;
– Após biópsia prostática, aguardar 6 semanas;

Instruções de coleta
Realizar coleta utilizando material e meio de coleta adequados. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra e acondicionar corretamente.
 

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 72 horas refrigerada entre 2°C e 8°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras hemolisadas serão rejeitadas.

Interpretação
O antígeno prostático específico (PSA) é uma glicoproteína de cadeia única normalmente encontrada no citoplasma das células epiteliais que revestem os ácinos e os ductos da glândula prostática. O PSA é detectado no soro de homens com tecido prostático normal, hipertrófico benigno e maligno. O PSA é também útil na determinação de possível recorrência após terapia quando utilizado juntamente com outros índices diagnósticos. A medição de níveis de PSA sérico não é recomendada como procedimento de triagem para o diagnóstico do câncer porque níveis elevados de PSA também são observados em pacientes com hipertrofia prostática benigna. Entretanto, alguns estudos sugerem que a medição do PSA juntamente com o exame de toque retal e a ultrasonografia constituem um método de detecção do câncer de próstata melhor que o exame de toque retal isoladamente. Os níveis de PSA aumentam em homens com câncer de próstata e geralmente caem para a faixa não detectável após uma prostatectomia radical. Se restar resíduo prostático após a cirurgia ou ocorrer uma metástase, o PSA parece ser útil na detecção de tumor residual ou de recorrência precoce de tumor. Dessa maneira, os níveis de PSA séricos podem ajudar a determinar o sucesso da prostatectomia ou a necessidade de tratamentos adicionais, tais como os hormonais ou por quimioterapia ou radiação, e no monitoramento da eficácia da terapia. Estudos recentes mostram a detecção do PSA em mulheres com mlesões benignas e câncer de mama. As pacientes com câncer de mama demostram concentrações mais altas de PSA quando avaliados no período pré-óperatório, com diminuição após a cirurgia. Mulheres com lesões benignas de mama também apresentam níveis de PSA no soro. Portanto, a expressão de PSA no soro não distinguem lesões malignas e benignas de mama, mas talvez possa ser valiosa no acompanhamento da doença.

Esse guia de exames foi útil?