CÓDIGO: MONOC
EXAME:  MONONUCLEOSE – ANTICORPOS HETERÓFILOS
SINÔNIMOS: CBHPM – 40308340

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho), Gel separador (amarelo)
Amostra alternativa:
Plasma: Tubo com citrato (azul)

PRAZO:  5 dias úteis
MÉTODO: AGLUTINAÇÃO

Instruções de preparo
Jejum: Jejum aconselhável de 4 horas.
 

Instruções de coleta
Coleta MONOC:
SORO
Tubo seco: Realizar coleta utilizando tubo seco. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra, separar o soro e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
Tubo com gel separador:  Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
PLASMA
Realizar coleta utilizando o tubo com o anticoagulante correspondente ao exame, homogeneizar, centrifugar a amostra, separar o plasma em tubo transporte de material e acondicionar conforme estabelecido para o exame.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 7 dias refrigerada de 2 a 8°C ou por até 6 semanas congelada.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia e amostras com hemólise grau I.

Interpretação
A Mononucleose Infecciosa é uma doença infecciosa aguda, sendo o seu agente etiológico o Vírus Epstein Barr (EBV). A infecção primária em crianças é na maioria das vezes assintomática. Adolescentes e adultos, normalmente desenvolvem Mononucleose Infecciosa como resposta à primo-infecção do EBV. A transmissão se faz provavelmente pela saliva. O período de incubação é de 5 a 15 dias, podendo ser maior. Como outros Herpesvírus, o EBV pode persistir na forma de infecção latente, com o DNA viral estocado no núcleo de alguns linfócitos B. Reativações assintomáticas são comuns, e aproximadamente 20% dos adultos normais apresentam o EBV na saliva.
O Vírus Epstein Barr é um herpesvírus humano (HHV Tipo 4), que também está relacionado a etiologia de alguns carcinomas: carcinoma nasofaríngeo, linfoma de Burkitt, doenças linfoproliferativas na presença de imunossupressão ou ligada ao fator X (Doença de Duncan).
Principais sintomas clínicos, febre, linfoadenopatia, dor de garganta, sintomas tóxicos (mal-estar, anorexia e mialgia), esplenomegalia em 50% dos casos.
Rash cutâneo em 15% dos casos, quando administrado ampicilina, ocorre em 90% dos casos. Outras manifestações: hepatite e envolvimento do SNC.