CÓDIGO: LAC12
EXAME: TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE – 120 MINUTOS

MATERIAL: PLASMA FLUORETADO ESTÍMULO LACTOSE 120 MINUTOS
MEIO(S) DE COLETA: Tubo com fluoreto (cinza) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 2 dias úteis
MÉTODO: ENZIMÁTICO

Instruções de preparo
Jejum: Jejum obrigatório de 8 horas.
 Bebida alcoólica: A abstinência é obrigatória nas 24 horas que antecedem o exame.
 Outros: TAD12 é referente ao tempo de 120 minutos após a administração de lactose.
A amostra basal (TADLA) deve ser coletada e em seguida deve-se administrar lactose do seguinte modo: Adulto: 50 g de lactose diluída em água
Criança: 2 g de lactose diluída em água e administrada oralmente/kg de peso, sendo no máximo 50 g.

Os tempos devem ser coletados de acordo com a solicitação médica

Instruções de coleta
Tubo com gel separador:
Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.

Caso não seja possível realizar a centrifugação em 30 minutos após a coleta,  utilizar tubo com fluoreto de sódio, pois inibe a glicólise.
 PLASMA: Realizar coleta utilizando o tubo com o anticoagulante correspondente ao exame, homogeneizar, centrifugar a amostra, separar o plasma em tubo transporte de material e acondicionar conforme estabelecido para o exame.
 

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 3 dias refrigerada entre 2°C e 8°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia.

Interpretação
A deficiência ou ausência da enzima lactase causa a chamada intolerância à lactose, caracterizada pela incapacidade de digerir a lactose. A intolerância pode ser causada por diferentes mecanismos como a deficiência congênita na produção de lactase: o organismo não produz a enzima, diminuição enzimática secundária a doenças intestinais: ocorre geralmente em crianças menores de 1 ano devido a morte das células da mucosa intestinal, que são produtoras da lactase, devido a diarréia persistente. Este é um caso de tolerância temporária, pois as células são repostas pelo organismo e assim o corpo volta a produzir a lactase, deficiência primária ou ontogenética: tipo mais comum de intolerância. É devido à diminuição natural da produção de lactase. A intolerância à lactose é caracterizada por náuseas, dores abdominais, desconforto, gases, diarreia ácida e abundante. A severidade dos sintomas pode variar, depende da quantidade ingerida e da quantidade de lactose que cada pessoa pode tolerar.