CÓDIGO: HCM
EXAME: HCG – GONADOTROFINA CORIÔNICA (MOLÉCULA INTACTA + FRAÇÃO BETA)
SINÔNIMOS: CBHPM – 40316327

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 2 dias úteis
MÉTODO: ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA

Instruções de preparo
Jejum: Jejum aconselhável de 4 horas.
 

Instruções de coleta
Realizar coleta utilizando material e meio de coleta adequados. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra e acondicionar corretamente.
 

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 3 dias refrigerada entre 2°C a 8°C.

Interpretação
A gonadotrofina coriônica humana (hCG) é membro da família de hormônios glicoprotéicos, sintetizado e secretado por células do trofoblasto da placenta. É um hormônio heterodimérico composto de subunidades a e ß ligadas de forma não covalente. Tanto as células malignas quanto as benignas do trofoblasto sintetizam e secretam não apenas o dímero ab biologicamente ativo, mas também as subunidades a e ß livres ou não combinadas. Além do dímero intacto, uma subunidade ß livre do hCG foi encontrada no soro de mulheres durante a fase inicial da gravidez e em pacientes portadores de tumores malignos. Entretanto, níveis elevados de hCG podem ser encontrados em tumores trofoblásticos (um câncer raro que se desenvolve a partir de ovos anormais fertilizados), em coreocarcinomas e em tumores testiculares. Mais de 60% dos pacientes com tumores não seminomatosos e entre 10 a 30% dos pacientes com seminomas possuem níveis elevados de ß-hCG livre. A determinação da subunidade ß livre é útil na detecção de recidivas das metastáses no cariocarcinoma quando o hCG intacto pode apresentarse em níveis normais. As análises séricas das subunidades de hCG podem ser especialmente úteis no monitoramento dos pacientes com tumores seminomatosos, uma vez que nenhum outro marcador tumoral é encontrado elevado nestes pacientes. O câncer testicular seminomatoso contém hCG intacto e ß-hCG livre ou subunidades em quantidades iguais; portanto, há necessidade de apenas um tipo de ensaio para monitorar esses pacientes. Por outro lado, em pacientes com tumores não seminomatosos são encontrados apenas hCG ou subunidades de ß-hCG.

OBS: Dosagem utilizada para diagnóstico de gravidez e também como marcador tumoral.