CÓDIGO: H1N1
EXAME: H1N1 – DETECÇÃO POR PCR

MATERIAL: DIVERSOS
MEIO(S) DE COLETA: Swab em frasco Estéril com Solução Salina ou Tubo Copan em meio UTM.

PRAZO: 3 dias úteis
MÉTODO: RT-PCR TEMPO REAL

Instruções de coleta
Coleta Secreção Orofaringe/Nasofaringe H1N1:
Instruções de coleta
Coleta Secreção Orofaringe/Nasofaringe:
Evitar o uso de sprays nasais, ou outros medicamentos de uso local no dia da coleta.
O paciente deve ser informar ao coletador se houve alimentação em um período inferior há 2 horas devido a possibilidade de regurgitar, porém o jejum não é obrigatório.
Realizar coleta utilizando material e meio de coleta adequados, homogeneizar e acondicionar corretamente. Obrigatório o envio do pedido médico.

PROCEDIMENTO DE COLETA PARA SWAB NASOFARINGE E OROFARINGE
A coleta do material deve ser feita por profissional devidamente treinado. Coletar 1 swab para a nasofaringe direita e para a nasofaringe esquerda + 1 swab da orofaringe e colocar os 2 swabs no mesmo tubo estéril fundo cônico (tipo Falcon) contendo 2 mL de salina ou solução fisiológica.

COLETA DA NASOFARINGE:
1) Introduzir delicadamente o swab em uma das narinas até encontrar resistência na parede posterior da nasofaringe realizando movimentos rotatórios.
2) Com o mesmo swab repetir o procedimento de coleta na outra narina.
3) Introduzir o swabs no tubo estéril tipo fundo cônico e identificá-lo com a etiqueta DB.

COLETA DA OROFARINGE:
1) Orientar o paciente para abrir a boca e mantê-la aberta durante a coleta não colocando a língua para fora para evitar a ânsia de vômito.
2) Utilizar o abaixador de língua para expor bem a região de onde será colhido o material.
3) Posicionar o foco de luz.
4) Introduzir o swab estéril na cavidade oral e colher o material.
5) Introduzir o swab no MESMO tubo estéril da nasofaringe.

Instruções de distribuição
Transportar congelado (-20°C) ou refrigerado (2 a 8°C).
*Amostras recebidas sob refrigeração (2 a 8°C) serão processadas sob restrição.

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 48 horas após a coleta.
 

Instruções de rejeição
Amostras fora do prazo de estabilidade do teste, volume insuficiente, tubo não identificado, identificado incorretamente e materiais não preconizados, ou com contaminação microbiana aparente.

Interpretação
O vírus da Influenza pertence à família Orthomyxoviridae. São classificados em A, B e C, sendo que os dois primeiros são causadores de infecções no homem. O subtipo A é o causador de pandemias e quadros mais severos, afetando também outras espécies. O período de incubação varia de 3 a 5 dias. A infecção ocorre no trato respiratório, causando febre, cefaléia, tosse e em alguns casos sintomas gastrointestinais. O vírus Influenza A é subtipado com base em duas proteínas (H hemaglutinina e N neuraminidase), sendo que o isolado A H1N1 identificado em 2009 foi responsável pela pandemia do mesmo ano. O teste é capaz de detectar e diferenciar os vírus Influenza A, Influenza B e Influenza A (H1N1 2009). Também é capaz de detectar o H3N2, assim como outras linhagens sazonais, sendo que nestes casos o resultado é liberado como Detectado para Influenza A.