CÓDIGO: ELPRH
EXAME: ELETROFORESE DE PROTEÍNAS – URINA 24 HORAS
SINÔNIMOS: ELETROFORESE DE PROTEÍNAS URINÁRIAS

MATERIAL: URINA 24 HORAS
MEIO(S) DE COLETA: Frasco estéril

PRAZO: 14 dias úteis
MÉTODO: ELETROFORESE EM AGAROSE

Instruções de preparo
Dados: Informar o volume da diurese.
 

Instruções de coleta
Coleta ELPRH:
Desprezar a primeira micção da manhã, anotar o horário de início,  a partir da próxima micção, armazenar em frasco apropriado toda a urina até o mesmo horário em que foi deprezada a primeira urina, no dia seguinte,  este será o horário do término da coleta. A amostra deverá ser armazenada tampada e refrigerada durante todo o intervalo da coleta. Enviar uma alíquota conforme condições solicitados e  volume solicitados no exame e informar o volume da diurese no campo de cadastro,  sempre que solicitado.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por 7 dias refrigerada de 2°C a 8°C ou por até 30 dias congelada.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia e com presença de hematúria.

Interpretação
Eletroforese de proteínas é um teste de laboratório baseada na separação das proteínas através de uma corrente elétrica contínua. Uma de suas principais funções é o diagnóstico do Mieloma Múltiplo. A quantidade de proteína produzida ou liberada na urina reflete a quantidade de mieloma presente no organismo em um dado momento. O rim funciona como um filtro, eliminando apenas algumas moléculas e deixando a maioria das proteínas na corrente sanguínea. Apesar de algumas pequenas proteínas passarem pelo filtro do rim, elas são posteriormente reabsorvidas e recicladas em forma de aminoácidos. Assim, normalmente a urina contém apenas traços de proteínas. Diferentes proteínas podem aparecer na urina em diferentes doenças. Se o rim estiver danificado, várias proteínas séricas podem passar para a urina, e os resultados da eletroforese de urina podem ser semelhantes à eletroforese de proteínas séricas, com todas as cinco (ou seis) frações visíveis. A Eletroforese de Proteínas Urinárias é usada para pesquisar a proteína de Bence Jones e monitorar a sua concentração. Pode também ajudar a avaliar os danos nos rins (que é uma complicação comum no caso de pacientes com mieloma múltiplo). Sua dosagem ajuda na avaliação inicial da quantidade e tipo do mieloma, monitoramento de série para documentar a velocidade e o nível de resposta e avaliação da progressão da doença ou possível recaída.