CÓDIGO: D1
EXAME: IGE ESP (D1) – ÁCAROS – D. PTERONYSSINUS  

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA:  Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 5 dias úteis
MÉTODO: IMMUNOCAP – (FEIA – FLUOROENZIMAIMUNOENSAIO)

Instruções de preparo
Jejum: Não é necessário jejum ou cuidados especiais.
 

Instruções de coleta
Tubo seco:
Realizar coleta utilizando tubo seco. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra, separar o soro e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
Tubo com gel separador:
Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por 7 dias refrigerada entre 2°C e 8°C ou por até 1 ano congelada.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia.

Interpretação
O ácaro D.pteronyssinus é dos mais predominantes em nosso meio e está presente,  principalmente, na poeira doméstica (colchões, almofadas, tapetes…). Devido ao seu hábito alimentar, que consiste em resto de pele humana e demais detritos orgânicos presentes no ambiente, não é sem razão, que essa principal espécie de ácaro tem o nome científico de Dermatophagoides que literalmente significa comedor de pele.
A família Pteronyssinus são comuns nas regiões de climas temperados e tropicais, devido a isso, a sua correção com temperatura ambiente e umidade do ar elevadas.
A alergia a ácaros pode aparecer em qualquer idade
O ácaro em si não produz nem conduz doenças, são as proteínas presentes no seu corpo e fezes que são capazes de induzir uma resposta imune e causar alergia em indivíduos susceptíveis, apresentando como principais sintomas rinite e asma.
A presença de IgE detectável não indica, necessariamente, doença alérgica, tampouco a sua ausência a exclui. Não há como interpretar a dosagem de IgE específica dissociada da anamnese e de outros exames complementares.