CÓDIGO: CULVM
EXAME: CULTURA E ANTIBIOGRAMA – SECREÇÃO VAGINAL
SINÔNIMOS: CBHPM – 40310124
MATERIAL: SECREÇÃO VAGINAL
MEIO(S) DE COLETA: Meio de transporte Stuart
PRAZO: 7 dias úteis
MÉTODO: CULTURA EM MEIOS ESPECÍFICOS
Instruções de preparo
Medicação: De acordo com orientação médica.
CULVM – Outros:
– Preferencialmente a coleta  não deve ser realizada no período menstrual;
– Pacientes em uso de óvulos ou cremes vaginais  só devem fazer a coleta após 48 horas do término do tratamento;
– Paciente não deve manter relações sexuais nas 24 horas anteriores à coleta;
– Banhar-se normalmente pela manhã, sem uso de ducha interna.
Instruções de coleta
Coleta sem espéculo:
Com auxílio de uma gaze retirar a secreção externa do introito vaginal antes de proceder à coleta do material. Inserir um Swab no introito vaginal e fazer movimentos de rotação para coletar o material, colocar em meio de transporte apropriado e enviar ao laboratório devidamente identificado. Coleta com o espéculo: Após inserir o espéculo, retirar o excesso de muco cervical com o auxílio de uma gaze estéril. Inserir o Swab e coletar material do fundo do saco e da parede vaginal, colocar em meio de transporte apropriado e enviar ao laboratório devidamente identificado.
Instruções de distribuição
Transportar em temperatura ambiente
Instruções de estabilidade
Material em meio de transporte Stuart: Amostra é estável por até 24 horas em temperatura ambiente.

Instruções de rejeição
Amostras enviadas em Swab seco,  sem meio de transporte ou em meio de transporte cary blair;
Amostras encaminhadas à fresco;
Amostras com sinais evidentes de contaminação;
Amostras sem identificação;
Amostras  que não venham nas condições estabelecidas em guia.
Interpretação
As doenças infecciosas que acometem o trato genital feminino podem ser de etiologia bacteriana, fúngica, parasitária ou viral. Grande parte dessas infecções pode ser assintomática ou causar sintomas muito discretos, que podem passar despercebidos pelo paciente. Devido a grande variedade de agentes possíveis de serem pesquisados, é muito importante que a suspeita clínica seja bem direcionada para que os exames laboratoriais mais indicados sejam realizados ( ex.: cultura cervical, pesquisa de Clamídia, cultura para Micoplasma). Em mulheres grávidas a cultura de secreção vaginal torna-se uma análise importante para o isolamento de Streptococcus agalactiae. Quando existe um desequilíbrio hormonal e do pH vaginal, alguns micro-organismos da microbiota normal podem vir a ser considerados patógenos importantes, como a Gardnerella vaginalis (que não cresce em meios de rotina) e leveduras que podem estar presentes em pequena quantidade em mulheres totalmente assintomáticas. A cultura de secreção vaginal não é recomendada quando se suspeita de Neisseria ou Clamídia. Nestes casos deve ser coletada cultura para secreção cervical, pois esta se apresenta mais adequada e sensível. 
Esse guia de exames foi útil?