CÓDIGO: CORTS
EXAME: CORTISOL SALIVAR – AMOSTRA MANHÃ
SINÔNIMOS: DETERMINAÇÃO QUANTITATIVA DE CORTISOL EM SALIVA HUMANA
MATERIAL: SALIVA MANHÃ
MEIO(S) DE COLETA: Coletor Salivar (Salivette®)
PRAZO: 4 dias úteis
MÉTODO: ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA
Instruções de preparo
Medicação: Pacientes em tratamento com doses elevadas de biotina (>5 mg/dL), a coleta deve ser realizada até no mínimo 8 horas após a última administração.
Bebida alcoólica: A abstinência é desejável nas 72 horas que antecedem o teste.
Exercícios: Evitar a realização de atividade física.
Jejum: Aconselhável de 4 horas.

Outros: A escovação é permitida até duas horas antes da realização da coleta, evitando que o sangramento gengival interfira na amostra de saliva.

Instruções de coleta
Coleta CORTS:
Para o exame CORTS a saliva deve ser colhida entre  06:00 e 10:00 horas.

A amostra de saliva tem de ser colhida com um dispositivo Salivette. Retire o cotonete de coleta do respectivo tubo e mastigue cuidadosamente durante cerca de 2 minutos para que o algodão fique totalmente saturado com saliva. Coloque novamente o cotonete no respectivo tubo e tape-o. Assim que possível, centrifugue o dispositivo Salivette durante 2 minutos a 1000 rpm para extrair a saliva para o tubo exterior. Não utilize frascos com ácido cítrico.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 4 dias refrigerada entre 2°C e 8°C.
Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferentes das condições solicitadas em guia e amostras salivares que apresentarem sangue aparente serão rejeitadas.
Interpretação
A dosagem do cortisol salivar avalia a fração livre do hormônio. Esta técnica tem se mostrado útil  no estudo do ritmo circadiano do cortisol e na avaliação de insuficiência adrenal, nos primeiros dias de vida de recém-nascidos. Adicionalmente, tem sido utilizada para avaliar o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA) em alterações da função cognitiva, em situações de estresse, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, na avaliação da privação de sono em pacientes trabalhadores noturnos e naqueles com fadiga crônica. Recentemente, a dosagem de cortisol salivar têm sido empregada no diagnóstico da síndrome de Cushing. Normalmente, a secreção de cortisol mais elevada ocorre na segunda metade da noite, sendo que o pico da produção de cortisol ocorre de manhã cedo. Em seguida, os níveis de cortisol baixam ao longo do dia, atingindo os níveis mais baixos durante a primeira metade da noite. Assim sendo, as variações circadianas da secreção de cortisol têm de ser consideradas nas condições de colheita de amostras na saliva. As amostras de saliva são obtidas por procedimento não invasivo, podendo ser coletadas no ambulatório ou na própria residência do paciente. 
Esse guia de exames foi útil?