CÓDIGO: COBRU
EXAME: COBRE URINÁRIO FINAL DE JORNADA DE TRABALHO
SINÔNIMOS: CBHPM – 40301567
MATERIAL: URINA FINAL DA JORNADA DE TRABALHO
MEIO(S) DE COLETA: Frasco estéril
PRAZO: 8 dias úteis
MÉTODO: ESPECTROMETRIA DE MASSAS COM PLASMA INDUTIVAMENTE ACOPLADO – ICP/MS
Instruções de preparo
Jejum: Jejum aconselhável de 4 horas.
Dieta: Evitar ingerir vitaminas, minerais, suplementos de ervas, ostra, nozes, lecitina, amêndoas, fígado, manteiga, porco, camarão, frutos do mar, alho, feijão, ervilha e ameixa,por pelo menos uma semana antes da coleta de urina.
Medicação: A suspensão de medicamentos fica a critério médico. O cobre sérico se eleva durante o uso de ácido valpróico, carbamazepina, fenobarbital e fenitoína, anticoncepcionais orais.
Instruções de coleta
Coleta COBRU:
Coletar urina do final do último dia da jornada de trabalho, ou após o período de exposição (recomenda-se evitar a primeira jornada da semana).
Manter amostra refrigerada desde o momento da coleta.
Durante o cadastro do exame serão geradas duas etiquetas, uma para análise do COBRU e outra para realização da creatinina urinária. As duas amostras deverão ser encaminhadas ao laboratório para o processamento do exame.
Não utilizar luvas de latex para manipular amostras e materiais para análise de metais.
Retirar a roupa ou uniforme contaminado antes da coleta.
Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 5 dias refrigerada entre 2°C e 8°C.
Instruções de rejeição
Amostras sem identificação, inadequadas, insuficientes, recipiente aberto ou danificado serão rejeitadas.
Interpretação
O cobre é um elemento essencial para a síntese de hemoglobina, colágeno e melanina e compõem muitas metalo-enzimas. É transportado pela ceruloplasmina. A deficiência de cobre em crianças é encontrada na prematuridade, má absorção, desnutrição e diarreia crônica. Acontece também na Síndrome de Menkes e Doença de Wison. A deficiência de cobre no organismo é caracterizada pela redução do crescimento, anemia microcítica hipocrômica e redução da pigmentação da pele. Valores aumentados são em geral decorrentes de intoxicação que é caracterizada por náuseas, vômitos, queimaduras epigástricas, diarreia, icterícia, hemólise, necrose hepática, sangramento digestório e falência renal. Podem também ocorrer em hemocromatose, hipertireoidismo, hemopatias malignas, colagenoses.    
Esse guia de exames foi útil?