CÓDIGO: CMVAV
EXAME: CITOMEGALOVÍRUS AVIDEZ – ANTICORPOS IGG
SINÔNIMOS: AFINIDADE DE IGG PARA CITOMEGALOVÍRUS, CBHPM – 40306461

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 3 dias úteis
MÉTODO: QUIMIOLUMINESCÊNCIA

Instruções de preparo
Jejum: Aconselhável de 4 horas.

Instruções de coleta
Tubo seco:
Realizar coleta utilizando tubo seco. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra, separar o soro e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
Tubo com gel separador :
Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra a a 3000 rpm por 10 minutos,  para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 14 dias refrigerada entre 2°C e 8°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia.

Interpretação
O Citomegalovírus (CMV) pertence à família do herpesvírus . A infecção primária na maioria dos indivíduos permanece assintomática, mas em alguns casos é possível observar sintomas semelhantes à mononucleose  infecciosa, que consiste em febre aguda com acentuada linfocitose e atipia linfocitária em 10% das células. Em pacientes  imunodeprimidos e neonatos pode causar infecções sistêmicas graves. A presença de anticorpos IgG indica imunidade ou exposição prévia. A presença de anticorpos da classe IgM é útil no diagnóstico da CMV aguda ou recente. Em alguns pacientes, é possível a detecção de IgM anti-CMV até 2 anos após a infecção primária. Esta característica dificulta o diagnóstico de infecção primária, pois deixa o clínico na dúvida se a IgM é oriunda da infecção recente ou é apenas uma IgM residual.  Dessa forma, a alternativa para resolver a questão é o imunoensaio de avidez da IgG, uma vez que, até os três primeiros meses após a infecção primária, as IgG produzidas apresentam uma baixa avidez ao reagir com os antígenos do CMV. Assim, a detecção de IgG antiCMV de baixa avidez evidencia uma infecção recente. Caso seja detectada IgG anti-CMV de alta avidez, em concomitância com a IgM anti-CMV, fica caracterizada uma infecção de longo prazo com a presença de IgM residual. 

Esse guia de exames foi útil?