CÓDIGO: CCR
EXAME: CLEARANCE DE CREATININA
SINÔNIMOS: CBHPM – 40301508, DEPURAÇÃO DE CREATININA

MATERIAL: CLEARANCE 
MEIO(S) DE COLETA: Soro: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)
Urina: Frasco estéril

PRAZO: 3 dias úteis
MÉTODO: COLORIMÉTRICO/CÁLCULO

Instruções de preparo
Outros: Informar ao laboratório dados precisos referentes ao peso, altura do paciente e volume urinário referente às 24 horas.
 

Instruções de coleta
Clearance:
Soro:
Tubo seco: Realizar coleta utilizando tubo seco. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra, separar o soro e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
Tubo com gel separador:  Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame. 
Urina:
Urina de 24 horas: Desprezar a primeira miccção da manhã, anotar o horário de início,  a partir da próxima miccção, armazenar em frasco apropriado toda a urina até o mesmo horário em que foi deprezada a primeira urina, no dia seguinte,  este será o horário do término da coleta. A amostra deverá ser armazenada tampada e refrigerada durante todo o intervalo da coleta. Enviar uma alíquota conforme condições solicitados e  volume solicitados no exame e informar o volume da diurese no campo de cadastro,  sempre que solicitado.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por até 6 dias refrigerada entre 2°C e 8°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia.

Interpretação
Define-se clearance (depuração) como o volume mínimo de plasma sanguíneo que contém a quantidade total de determinada substância excretada na urina em 1 minuto. Valores baixos de clearance de creatinina são indicadores de redução da taxa de filtração glomerular. Ocorrem em choque, hipovolemia, drogas nefróticas, nefropatias agudas e crônicas, hipertensão maligna, eclampsia, pielonefrite, nefrosclerose hipertensiva, rins policísticos. Valores aumentados ocorrem em diabetes mellitus, hipertireoidismo, acromegalia.