CÓDIGO: BLAST
EXAME: BLASTOMICOSE – ANTICORPOS – PARACOCCIDIOIDOMICOSE
SINÔNIMOS: CBHPM – 40306496, PARACOCCIDIOIDOMICOSE ANTICORPOS

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 10 dias úteis
MÉTODO: CONTRAIMUNOELETROFORESE

Instruções de coleta
Tubo seco:
Realizar coleta utilizando tubo seco. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra, separar o soro e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.
Tubo com gel separador:
Homogeneizar imediatamente após a coleta e manter o tubo em repouso verticalmente para a completa retração do coágulo em temperatura ambiente, para evitar hemólise. Após este período, centrifugar a amostra para obtenção do soro (sobrenadante) e acondicionar corretamente conforme estabelecido para o exame.

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C)
 

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por 8 horas em temperatura ambiente, por 7 dias refrigerada de  2°C a 8°C ou por até 3 meses congelada.
 

Instruções de rejeição
Amostras recebidas diferente das condições solicitadas em guia e amostras com hemólise grau I.

Interpretação
O Paracoccidioides brasiliensis é o agente etiológico da paracoccidioidomicose, a principal micose sistêmica no Brasil. A exposição a este fungo está relacionada com o manejo do solo contaminado, sendo as vias aéreas a principal forma de contaminação. Os órgãos mais frequentemente afetados são os pulmões, seguidos da pele, mucosas, linfonodos, adrenais, sistema nervoso central, fígado e ossos. 
Consideram-se significativos títulos maiores que 1/16, porém, se a doença estiver em atividade, títulos mais elevados podem ser facilmente encontrados. Após tratamento específico, observa-se queda em tais valores.