CÓDIGO: ANAT4
EXAME: ANATOPATOLÓGICO PEÇA CONVECIONAL
SINÔNIMOS: CBHPM – 40601110, HISTOPATOLÓGICO; ANATOMOPATOLÓGICO

MATERIAL: DIVERSOS
MEIO(S) DE COLETA: Frasco com formol

PRAZO: 35 dias úteis
MÉTODO: AUTOMATIZADO

Instruções de distribuição
Transportar em temperatura ambiente.
 

Instruções de estabilidade
Indeterminado, após fixação adequada com formalina (formol 10%).

Instruções de rejeição
Amostra com fixação inadequada, insuficiente ou em meio inadequado;
Informações divergentes entre pedido médico e identificação da embalagem;
Informações divergentes entre pedido médico e/ou identificação e material encontrado na macroscopia;
Falta de documentos obrigatórios e /ou documentos sem informações clínicas e carimbo / dados do médico solicitante.

Interpretação
Histopatologia
A histopatologia é o exame de tecidos, órgãos e estruturas com a finalidade de investigar doenças. Esta análise é feita a partir da secção do tecido em finas camadas, técnicas histoquímicas (colorações) e posterior visualização em microscópio ótico de luz.
O material coletado por meio de procedimentos cirúrgicos, sejam biópsias ou até mesmos cirurgias de grande porte, são colocadas em capsulas (cassetes) em sua totalidade ou partes representativas, de até 4 mm, selecionadas durante a macroscopia para posterior processamento.
O processamento tecidual consiste em diversas fases, a fixação, desidratação, clarificação e impregnação por parafina, para que o tecido tenha resistência suficiente para um corte fino e preciso.
Após o processamento tecidual, a amostra é embebida e emblocada em parafina, utilizando formas específicas e permitindo o posicionamento adequado da amostra para que o corte (microtomia) seja feito no plano anatômico correto para a análise.
A microtomia é o corte do tecido em fatias extremamente finas, 5-6 µm, que são posicionados em lâmina histológicas.
Em seguida, a fina camada de tecido é corada em um processo chamado histoquímica, cuja coloração padrão é a Hematoxilina e Eosina (H&E).
Além da coloração H&E, outras colorações histoquímicas podem ser empregadas para marcação de estruturas ou substâncias celulares ou teciduais específicas que podem confirmar uma suspeita ou direcionar um diagnóstico. Veja o item [colorações específicas] para maiores informações.
O exame anatomopatológico tem o objetivo fornecer o diagnóstico de neoplasias, infecções e doenças inflamatórias.
Nas neoplasias, tem ainda o importante papel de:
– Realizar a diferenciação entre neoplasias benignas e malignas;
– Estabelecer o grau histológico de malignidade da neoplasia;
– Avaliar a extensão da lesão, comprometimento de linfonodos, metástase, tamanho e infiltração em outros tecidos;
– Estabelecer o prognostico; e
– Determinar, em casos específicos, com auxílio de técnicas complementares, a predição de resposta terapêutica á drogas específicas. 

Subespecialidades
Assim como em diversas áreas da medicina, a anatomia patológica vem tendo um enorme avanço em conhecimento, principalmente, na genômica do câncer, classificações e subclassificações, imuno-histoquímica e direcionamento terapêutico.
Uma especialidade tão ampla e, ao mesmo tempo, tão profunda devido aos conhecimentos específicos de cada sistema ou tipo oncológico, faz com que seja necessária a subespecialização das equipes de patologistas.

Instruções Adicionais:
Neste código são aceitas biópsias gerais que não se enquadram nos demais códigos.
Biópsias são pequenos fragmentos representativos de um órgão, lesão ou região anatômica.
Biópsias não permitem a avaliação de margens cirúrgicas.

Esse guia de exames foi útil?