CÓDIGO: AESP
EXAME: ANTICORPOS ANTI – ESPERMATOZÓIDE
SINÔNIMOS: CBHPM – 40309304

MATERIAL: SORO
MEIO(S) DE COLETA: Tubo seco (vermelho) ou Gel separador (amarelo)

PRAZO: 15 dias úteis
MÉTODO: ENZIMAIMUNOENSAIO

Instruções de coleta
Realizar coleta utilizando material e meio de coleta adequados. Após retração completa do coágulo, centrifugar a amostra e acondicionar corretamente.
 

Instruções de distribuição
Transportar refrigerado (2°C a 8°C).
  

Instruções de estabilidade
A amostra é estável por 3 dias em temperatura ambiente, por 7 dias refrigerada de 2 a 8 °C ou por até 30 dias congelada a -20°C.
 

Instruções de rejeição
Amostras hemolisadas serão rejeitadas.

Interpretação
Os espermatozóides são ‘estranhos’ ao corpo que os produz, porque eles contêm apenas metade do número normal de cromossomos. Os espermatozóides, ou produtos de espermatozóides, que entram em contato com o sangue são, portanto, capazes de iniciar uma reação imunológica com a produção de anticorpos anti-espermatozóide. Por essa razão, a espermatogênese normalmente acontece atrás de uma ‘barreira imunológica’ nos testículos. Mas, em alguns indivíduos do sexo masculino, os espermatozóides ou componentes dos espermatozóides passam através da barreira e estimulam a produção de anticorpos. Anticorpos podem, então, entrar no fluido seminal e ‘atacar’ os espermatozóides. Através de observação ao microscópio, verificou-se que os anticorpos antiespermatozóide causam aglutinação dos espermatozóides e reduzem seriamente a motilidade, assim causando infertilidade. Uma vez que o sistema imunitário tenha sido sensibilizado pelos espermatozóides, é extremamente difícil reverter o processo. No entanto, pelo uso de altas doses de corticosteróides, a quantidade de anticorpos pode ser reduzida e a fertilidade temporariamente restaurada.